Trabalho X Hobby: Amor é amor e um lance é um lance

 

 

De acordo com o Dicionário Informal a palavra hobby representa algo que gostamos de fazer nas horas vagas, uma forma de passar o tempo. Já trabalho, é uma atividade que se tem como ocupação, onde tem um determinado objetivo a fazer, transformar ou obter algo. Mas, será que realmente existe diferença entre trabalho x hobby? Continue a leitura para descobrir!


Você vai ver aqui:

  1. Devo ou não devo cobrar pelo meu hobby?
  2. Trabalhar com o que gosta é vantajoso?
  3. Trabalho X Hobby – Não se limite
  4. Aprendendo a deixar o hobby como hobby

 


Devo ou não devo cobrar pelo meu hobby?

Desde que nascemos somos sempre bombardeados com a pergunta: o que você vai ser quando crescer?

Recentemente passei por uma experiência que me fez refletir a respeito desse assunto. Gosto muito de fazer ilustrações, e por esse motivo comecei a receber alguns pedidos para comercializá-las.

Em contrapartida, isso me fez pensar, e trago essa reflexão pra você: 

Percebi que a minha relação com a ilustração era algo mais artístico, subjetivo e até mesmo terapêutico… Mas pensei que seria interessante comercializar esse serviço e tirar uma grana legal disso, pois amo ilustrar.

Porém, com o tempo comecei a me sentir bastante estressada em produzir, e peguei ranço de ilustrar para fins terapêuticos, puramente pra me divertir e distrair do corre, do dia a dia.

Foi aí que me questionei: até que ponto trabalhar com o que realmente gostamos de fazer, é saudável e lucrativo? 

E cheguei a conclusão de que: quando se trata de trabalho, em alguns momentos vamos fazer o que não gostamos, sim.

Algumas vezes, romantizamos muito o trabalho e entramos no dilema: só vou fazer o que gosto! E aí a gente trava, porque pode ocorrer de nem sabermos o que gostamos de fato, se não experimentarmos de tudo um pouco. Além disso, a realidade de pagar contas e ter uma boa qualidade de vida é bem diferente.

Precisamos normalizar, com consciência, o fato de que em alguns momentos no nosso trampo, vamos ter a possibilidade de fazer coisas, ou passar por situações que não amamos; se não a labuta não existiria.

E preciso te dizer uma verdade que pode ser dolorida: nem sempre trabalhar com o hobby será benéfico.

Ah, então Brena… Você está me dizendo que devo aceitar todas as propostas de trabalho que recebo, passando por cima dos meus gostos e do que acredito?

Não exatamente! A chave está no equilíbrio e principalmente, onde você deseja chegar profissionalmente. Pois, às vezes uma atividade que a gente não ame tanto assim, pode nos trazer ensinamentos e bagagem que mudam e amadurecem nossa percepção de mundo.

Então, antes de você tomar a decisão de cobrar ou não pelo seu hobby, você precisará ponderar a cerca de fatores como: lucro, tempo, lazer e propósito.


Trabalhar com o que gosta é realmente vantajoso?

Já fiz ballet clássico e ginástica artística por anos, também fiz natação para fins terapêuticos e quase, quase me torno maquiadora profissional. Algumas dessas coisas eu até não lembro mais, mas a lista com certeza vai continuar crescendo…

Somos seres complexos, e multifacetados, por isso é super normal buscar descobrir o que faz sentido, e o que é a nossa essência.

O trabalho não nos define, mas podemos buscar aquilo que nos represente, aliviando um pouco a carga de só ter que “bater ponto”. 

Sendo assim, se você busca um propósito, uma direção e um sentido para o sua vida profissional, você pode exercer um trabalho que tenha vocação, aquilo que você nasceu para fazer (este você só descobre quando se conhece verdadeiramente, é um processo de autoconhecimento direcionado).

E quando você descobre seu propósito, no âmbito profissional, o trabalho definitivamente não é um peso… Em contrapartida, uma função que não esteja alinhada a sua vocação muitas vezes pode se tornar frustrante.


Trabalho x Hobby – Não se limite

Ter um hobby significa ter um passatempo, ou seja, uma atividade que é praticada por prazer, nos tempos livres, e tem como principal objetivo relaxar… Sem deadline, sem a pressão de agradar ou convencer alguém com aquela atividade.

Apesar de considerar super importante essas definições de trabalho e hobby, nenhuma delas precisam nos limitar. Nada impede que você produza projetos independentes do seu trabalho, que utilizem um pouco dos seus hobbies. Na verdade eu até indico…

Além das suas demandas diárias com o trabalho, procure ter seus projetos pessoais ativos. Isso vai te ajudar a não ficar engessado e vai melhorar até mesmo, o seu processo criativo.

Mas, caso queira separar:


Aprendendo a deixar o hobby como hobby

Às vezes no trabalho enfrentamos momentos que nos tira do sério, seja por culpa de outras pessoas, como também pela nossa. 

E quando momentos como estes acontecem, é necessário buscar outras possibilidades para distrair e relaxar. Mas, e quando o hobby vira um trabalho, como relaxar?

Então você precisará descobrir ou inventar um novo passa tempo.

No meu caso não deu muito certo, e precisei abrir mão do retorno financeiro nas ilustrações, para que pudesse voltar a ter prazer em ilustrar. Isso não quer dizer que irá acontecer com você. Cada lance é um lance.

Enfim, acredito que o segredo seja justamente em procurar equilibrar todos esses lados da nossa vida. Só não se esqueça, sua história jamais poderá ser medida ou contada pela percepção de outra pessoa, ou definida pelo o que você faz.

Você tem um hobby? Como é sua relação com ele, você se beneficia financeiramente, usa como trabalho, ou usa apenas como forma de relaxar? Me acompanhe nas redes sociais para a gente trocar essa ideia. (:

Compartilhe esse artigo com alguém que vai gostar desse assunto. E não perca nenhuma novidade do blog!

Compartilhe

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on telegram
Share on linkedin
Share on email

Você também pode gostar...